publicado em 07/06/2018 Por desidrat

Desde 1950 muitos conceitos e técnicas de gestão de qualidade foram adotados para procedimentos de garantia da qualidade de medicamentos.
A resolução criada pela ANVISA (nº17/16 de abril de 2010) e o Guia de qualidade para sistemas de tratamento de ar e monitoramento ambiental publicado em março de 2018, estabelecem requisitos mínimos para serem seguidos.
A umidade é presente na produção e armazenamento dos medicamentos, por isso é necessário que haja um controle de umidade, prevenindo a contaminação cruzada, garantindo assim a qualidade do produto final.
Em determinadas fases do processo de produção do medicamento, existe um controle de umidade estabelecido, alguns exemplos são:
Fabricação de injetáveis e área de testes – Menor que 50%
Fabricação de pó das ampolas – Inferior a 35%
Processamento de mistura de pó, comprimido composto e fabricação de cápsulas gelatinosas – Inferior ou igual a 20%.
Vale lembrar que a umidade relativa do ar para cada etapa pode variar de acordo com a exigência estabelecida para determinado tipo de medicamento.
O emprego de desumidificadores é essencial, pois só o equipamento pode controlar a umidade nessas áreas e processos, garantido as Boas Práticas de Fabricação.
Os desumidificadores da Linha Desidrat são desenvolvidos dentro da mais alta tecnologia e são fortes aliados da Indústria Farmacêutica.
Nossos consultores estão à disposição para oferecer a melhor solução para a sua Indústria. Agende uma visita técnica gratuita!


A IMCDé líder em distribuição de especialidades químicas no Brasil. Abrange diversos segmentos como o farma e o de cosméticos.
Eles utilizam e recomendam os produtos Desidrat.

Entre em contato!

Social